quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

PEDRO MESTRE :" CAMPANIÇA DO DESPIQUE " VENCE PRÉMIO CALOS PAREDES 2016

Mestre de nome e de missão – no estudo, ensino e investigação do cante alentejano e da, igualmente alentejana, viola campaniça – Pedro Mestre teve no seu álbum “Campaniça do Despique”, editado o ano passado, um momento alto da sua carreira e da visibilidade que este valioso instrumento tradicional, durante décadas em risco de extinção, teve junto de um número considerável de amantes da música portuguesa mais genuína. Agora, esse disco e o respectivo autor são os vencedores do Prémio Carlos Paredes 2016, um galardão instituído pela Câmara Municipal de Vila Franca de Xira desde 2003 e que – à semelhança do Prémio José Afonso, da Câmara Municipal da Amadora – premeia obras de cantores, grupos e músicos que muitas vezes têm as suas obras arredadas de divulgação conveniente por parte de muitos meios de comunicação. Desde esse ano, discos de Bernardo Sassetti, Ricardo Rocha, Carlos Barretto, TGB, Mandrágora, Mário Laginha, Pedro Jóia, Mu, El Fad, Rosa Negra, André Carvalho, Carminho, Rão Kyao, Pedro Caldeira Cabral, Lisboa String Trio e este “Campaniça do Despique”, de Pedro Mestre,  são os vencedores até agora. “Campaniça do Despique”, recorde-se teve participações especiais de Janita Salomé, António Zambujo, Fábia Rebordão, Jorge Fernando, Guilherme Banza, Rancho de Cantadores de Aldeia Nova de S. Bento, Cantadores do Sul, Campaniça Trio, Tânia Lopes, Vasco Sousa, Rui Vaz e José Manuel David (ambos ex-Gaiteiros de Lisboa). O comunicado:
“Instituído em 2003, o Prémio Carlos Paredes tem como objetivo homenagear um nome ímpar da nossa cultura musical e distinguir trabalhos discográficos de música instrumental não erudita, nomeadamente a de raiz popular, que tenham sido editados no ano anterior a cada edição, e incentivar a criação e a difusão de música de qualidade feita por portugueses. Coube à obra discográfica ‘Campaniça do Despique’, de Pedro Mestre, a distinção com Galardão Prémio Carlos Paredes 2016. A cerimónia de atribuição do prémio, decorrerá dia 03 de Dezembro, pelas 21h30 no Centro Cultural do Bom Sucesso, em Alverca do Ribatejo, e conta, igualmente, com a atuação do vencedor. O Prémio Carlos Paredes reporta a trabalhos discográficos cuja edição tenha tido lugar em 2015 e foi atribuído por um Júri constituído por Vitorino Salomé, Pedro Campos, Ruben de Carvalho e Carlos Alberto Moniz, que analisaram um total de 20 candidaturas. Este galardão tem distinguido, ao longo dos anos, nomes tão importantes do panorama musical português como Bernardo Sassetti, Ricardo Rocha, Mário Laginha, Pedro Jóia, Carminho ou Pedro Caldeira Cabral, entre outros”.

terça-feira, 25 de outubro de 2016

ALVITO

ALVITO - SEMPRE, É MAIS UM TRABALHO DEDICADO A TODOS OS NATURAIS E AMIGOS DE ALVITO COM AS VOZES DO GRUPO CORAL E INSTRUMENTAL "CAMPOS DO ALENTEJO

domingo, 16 de outubro de 2016

PINTURA DE JÚLIO JORGE


 Série "Diálogos, Aguarela s/papel Arches 640g grão fino 34,6x39cm

FLÁVIO HORTA ART.



"Cante de Taberna, Cuba"
tinta da china sobre papel, 2015 (30x42)cm

«Ai solidão, ai dão, ai dão
cá pra mim quer sim, quer não

vem a morte, leva a gente.
Quem não há-de ter paixão.
Ai, quem não há-de ter paixão.
Quem paixão não há-de ter.
Solidão, ai dão, ai dão,
serei firme até morrer.
Ai, humildes filhos do povo
Tanto amor, por devoção.
Humildes filhos do povo
Tanto amor, por devoção.
Ai, nada trazemos de novo
mantemos a tradição.
Nada trazemos de novo
mantemos a tradição.»

cancioneiro popular

sábado, 15 de outubro de 2016

VALE FIGUEIRA ---- DO BLOG O MELHOR ALENTEJO DO MUNDO

Vale Figueira






















Entre os concelhos de Viana do Alentejo e Alcácer do Sal, Vale Figueira é uma área onde um dos braços da Barragem de Pego do Altar se alarga e nos oferece uma paisagem magnifica para percorrer e fotografar, havendo trilhos muito fáceis para pedestrianistas iniciantes. No entanto, estamos em pleno Alentejo rural e podemos sempre encontrar gado á solta, embora inofensivo...
O Projeto Alcáçovas Outdoor Trails organiza caminhadas á medida do seu grupo. 
 Atreva-se a conhecer o Alentejo que está longe das rotas turísticas, venha caminhar connosco...
Fotos da autoria dos nossos compadres e amigos: 
Anabela das Dores, paula Greg, Fernando Quaresma e Mário Quinta.

IGREJA DOS LÓIOS ---- ÉVORA





Igreja dos Lóios – Évora
Este monumento nacional pertence ao Convento dos Lóios e foi erguido em 1485. A sua construção em estilo manuelino é deslumbrante, apresentando também influências renascentistas. Também no seu interior se pode observar um generoso painel de azulejos, datado do séc XVIII, com figuras de um azul forte que se destaca em toda a decoração. Vale a pena ir conhecer!

sexta-feira, 14 de outubro de 2016

ALDEIA

ALDEIA

Aldeia não é só um local com poucas casas e pouca densidade populacional.
Casas baixas e antigas,
sino que toca a cada quarto de hora,
galo que canta todas as manhãs,
e cheiro a ruralidade.

Aldeia é muito mais que isso.

Aldeia é proximidade e Tempo.


Certo dia telefonei para uma livraria diferente, daquelas que atendem o telefone e nos tratam como pessoas.

Estava longe ... a uns 45 mn de autocarro. O trânsito era intenso e de pouco valia a faixa do BUS.
Quando chegou à hora do fecho da livraria voltei a telefonar à senhora e contei-lhe onde me encontrava geograficamente.
A senhora ao invés de me dizer a livraria está fechada porque já passou da hora,
ela disse num tom simpático e familiar:

- Fica tranquila!
- Te aguardo.

ALGUNS POSTAIS DE FERREIRA DO ALENTEJO


Ferreira do Alentejo

Todos os locais têm o seu encanto. 
E quando se tem Tempo para ver,
descobrem-se esses encantos,
escondidos algures,
nas muitas ruas todas iguais ao primeiro olhar.

Ferreira do Alentejo pode parecer à primeira vista, e se calhar à segunda e à terceira, e ..., uma vila igual a tantas vilas alentejanas: de casas baixas e branquinhas, com um supermercado, algumas pastelarias, umas sombras com velhotes a descansarem, e uma casa especializada em ferramentas e materiais agrícolas.

Mas no entanto quando se olha bem, e se percorrem as suas ruas com calma, descobre-se:

- uma bela cascata mesmo no centro da vila
- um Templo de arquitetura única, designado por Capela do Calvário
(pensa-se que as pedras salientes evoquem o sofrimento de Cristo no Calvário ou as pedras que Jesus impediu que fossem atiradas contra a pecadora Maria Madalena)






















- um parque tipo bosque
(bem fresquinho nos dias escaldantes de Verão)


- um lago com parque de merendas e com sombra à hora de maior calor
(otimo para um joguinho de bisca :) )


- um largo com arte moderna e exótica


- a Igreja da Misericórdia
(toda pintadinha e com ótimo aspeto)





































- uma casa com arcadas






















- a Biblioteca Municipal
(com janelas em vitral)






















- um suporte para bicicletas
(nesta vila perdida no Alentejo até um suporte de bicicletas existe ;)  hum ...)






















- uma zona pública de Internet sem fios
(e até tem Wi-Fi .... e estaaa?? hã ... lol ... )




















Realmente ... 
muita coisa se encontra, 
quando se tem Tempo para ver.

Fotos e texto copiados do Blogue: 

quinta-feira, 13 de outubro de 2016

ERVAS AROMÁTICAS ---- POEJO, ORTELÃ -- DA --- RIBEIRA, ----- E OREGÃOS




CHAMINÉS DO ALENTEJO





UM POSTAL DE AVIS


BARRAGEM DO MARANHÃO --- JUNTO AO ERVEDAL --- AVIS


ESTREMOZ ---- FOTO DE REGINA ROSA


PRAIA DE SINES ---- FOTO JOSÉ CAVALINHOS


PEROLIVAS UMA DAS FREGUESIAS DE REGUENGOS DE MONSARAZ


 Poesia de Pj.Conde-Paulino

ROTA DOS VINHOS DO ALENTEJO - MAPA INTERACTIVO



A Vinhos do Alentejo lançou um inovador mapa interactivo que permite aos internautas visitar todas as adegas da Rota dos Vinhos do Alentejo.
Com esta ferramenta os admiradores dos vinhos alentejanos podem explorar os locais onde se produz o melhor vinho do mundo (pelo menos para nós que não somos suspeitos), conhecer as casas produtoras e alguma história que está na base destas criações superiores.
O mapa, que pode ser visto aqui, permite aos admiradores definir a sua própria rota de férias, visitando os locais de referência onde o esperam simpatia e, claro, bom vinho.
Imagem de capa daqui.

VINHO E AZEITE ALENTEJANO PARA LISBOETAS APRECIAREM



A Comissão Vitivinícola Regional Alentejana (CVRA) pegou em mais de 400 vinhos e azeites de 20 produtores alentejanos e levou-os esta semana para Lisboa, numa acção de promoção da dieta mediterrânica. A prova de vinhos e azeites alentejanos, que vai decorrer no Centro Cultural de Belém a 14 e 15 deste mês inclui a presença de produtores e especialistas dos sectores para provas de vinho comentadas, provas de azeites, seminários e para ensinarem o que liga com o quê, isto é, que vinhos para que comidas e vice-versa.
Alguns números interessantes
Com oito sub-regiões vitivinícolas (Portalegre, Borba, Redondo, Reguengos de Monsaraz, Vidigueira, Moura, Évora e Granja/Amareleja), o Alentejo, que possui cerca de 22 mil hectares de vinha, exporta os seus vinhos para todo o mundo, sendo Brasil, Estados Unidos, China, Angola e Suíça alguns dos principais mercados.
Os vinhos do Alentejo contam com um total de 263 produtores e 97 comerciantes. No setor do azeite, o Alentejo foi a região responsável por 76% das 100 mil toneladas produzidas em Portugal na última campanha olivícola.